Pular para o conteúdo

Como saber se você está trabalhando da forma que deveria para os stakeholders

Sua equipe fez várias entregas. Vem trabalhando duro, mas sem resultados?

Em qualquer negócio, sejam produtos digitais ou não, uma das principais preocupações é atender às necessidades dos stakeholders, que é um dos maiores objetivos a serem alcançados.

Como resultado, a equipe está trabalhando duro, tentando introduzir mais recursos, mas negligenciando um objetivo muito importante: maximizar o valor da iniciativa e o retorno do investimento.

Em outras palavras, desde que a flexibilidade e a velocidade de entrega sejam implementadas, ainda haverá partes interessadas muito azaradas.

Gerente de Projetos ti

A equipe está trabalhando bem com muitos entregas, mas será que eles estão fazendo algo realmente útil?

Isso soa normal para você? Porque realmente aconteceu em muitos lugares, até mesmo as que buscam a transformação digital em 2022, por três motivos importantes:

1. Otimize o valor e o retorno do investimento

No geral os responsáveis pelos produtos (Product Owner) estão excessivamente preocupados em servir seus stakeholders e acaba negligenciando uma de suas principais responsabilidades. Isso é otimizar o retorno do investimento.

2. Ter senso de responsabilidade

É comum a equipe, falando agora de desenvolvimento de softwares, não saber exatamente qual é a finalidade do produto ou não ter ideia do porque está trabalhando em um requisito específico.

Eles sabem o que é e como fazê-lo, mas não identificam o por quê, simplesmente porque falta o senso de responsabilidade, ou seja, espirito de dono.

3. Faça acontecer o processo de refinamento (discovery)

Valorize o produto, é isso que o cliente deseja no final. É necessário passar por um processo de descobrimento e refinamento antes que o desenvolvimento possa começar.


Como podemos mitigar esses tipos de problemas?

stakeholders
Getty Images

É possível identificar alguns sinais que causam essas situações descritas aqui. Os mais importantes são:

  • Pouca autonomia do product owner, que depende de outras pessoas para tomar decisões e esclarecer detalhes;
  • Product Owner que não possui a habilidade certa;
  • Responsável pelo produto se torna um tirador de pedidos (pastelaria). Escreve os pedidos sem entender o motivo da requisição e qual é o resultado esperado.
  • A equipe está preocupada em encher o tanque, ou seja, durante os encontros de planeamento, há mais preocupação em “limpar” o backlog para manter todos ocupados do que realmente criar valor para o cliente.
  • Uma equipe sem objetivos claros, sem opções e focada no que mais importa.
  • Sem refinamento (discovery), ou seja, assim que a requisição chegar, ela será enviada diretamente para a equipe de desenvolvimento. Não há processo em que o cliente esteja envolvido e as suposições são tratadas como verdade.
  • Não existe uma visão centrada no cliente que foca no consumidor / usuário final.

Enfim, se você identificou alguns desses pontos em sua equipe, ou se você mesmo se viu em alguns casos, é tempo de corrigir-se.


LEIA TAMBÉM:


Corrigir problemas relacionado as entregas

Quando identificamos esse cenário, que é muito comum, é recomendado um trabalho de coaching muito intenso com os stakeholders, product owner e até com os scrum masters. Para isso, existem técnicas como:

  • Aprimore a ordenação do backlog: o backlog deve ser ordenado claramente para ajudar a alcançar os objetivos traçados.
  • Crie um grupo de discovery: Para descobrir recursos que precisam ser implementados para atender às necessidades do usuário.
  • Construir uma esteira ágil: essa técnica permite aprofundar o portfólio até chegar na mão do usuário final.
  • Trabalhamos com base em fluxos de valor relevantes para o usuário com objetivos claros, como o uso de OKR.
  • Defina o objetivo do produto: Exemplo aumento de vendas de 10 %, aumento da conversão de 5 %, etc.) esperado ou acrescido do valor.
  • Usar informações para tomar decisões sobre os itens disponíveis.
  • Concepção de hipóteses: Uma boa maneira de fazer um trabalho que ajuda a testar hipóteses é chamada de hypothesis-driven development. Isso ajuda a escrever um backlog que enfatiza nossas suposições.
  • Roadmap: uma visão geral dos próximos etapas do produto.

Em geral, procuramos dar a toda a equipa a razão de ser certa, ligada ao valor para o cliente ou para a empresa.

Porque, quando não sabemos para onde queremos ir, qualquer caminho vai servir. E assim o trabalho se torna eficiente, mas não realmente eficiente!


Mais valor agregado, com menos investimento

Ao abordar esses defeitos durante o processo de desenvolvimento de um produto com uma equipe ágil, é possível colher muitos benefícios, incluindo:

  • A atmosfera de confiança entre as partes interessadas.
  • Você pode trabalhar em um processo experiencial e sempre focar no objetivo desejado.
  • Fica mais fácil gerenciar as preocupações das partes interessadas sobre os resultados.
  • Os stakeholders ficam mais felizes com as entregas, pois estarão conectadas ao objetivos estratégicos, com ênfase em realmente produzir valor com as iniciativas.
  • Em suma, mais valor agregado, com menos investimento e focado em maximizar o valor e o ROI da iniciativa.
nv-author-image

Joao A M Santos

Com uma carreira atuante na área de Projetos de Tecnologia de Informação, desenvolvo trabalhos voltados para a gestão das atividades da área, atuando em empresas do segmento de saúde e consultorias em tecnologia.

Deixe sua opnião ...

O seu endereço de e-mail não será publicado.